Mecanismos de Ação

Qualquer articulação do sistema músculoesquelético em movimento (existência de pressão mecânica) produz um campo elétrico.

A carga na articulação faz sair a água da matriz extracelular da cartilagem. Essa água está ligada aos proteoglicanos (de carga elétrica negativa) sob a forma ionizada, além de conter íons Sódio (Na+).

Juntamente com a água, saem então cargas positivas, permanecendo os proteoglicanos (de carga elétrica negativa) por neutralizar. Temos então uma diferença de potencial, streaming potential, originada pela saída de água e conseqüente saída de carga positiva da matriz extracelular da cartilagem, que vai gerar o sinal piezoeléctrico para se produzirem mais proteoglicanos e condrócitos.

É o que sucede na cartilagem sã. Na cartilagem doente, sujeita a carga excessiva, este mecanismo está alterado ou já não existe.

É aqui que atua a PST, recriando o streaming potential da articulação sã, sem carga e sem movimento de fluido, usando campos eletromagnéticos pulsáteis e de intensidade variável.