Como a PST é aplicada

O tratamento consiste em 09 ou 12 aplicações, cada sessão de uma hora, feitas diariamente. Em casos específicos, as sessões podem ser feitas duas vezes ao dia, desde que espaçadas no mínimo em 5 horas.

Uma única interrupção poderá ocorrer por até 2 dias, geralmente para o fim de semana, desde que pelo menos três sessões já tenham sido completadas.

Para o tratamento dos quadris e ombros são indicadas 12 sessões. Nas demais indicações são necessárias apenas 09 sessões.

Nos casos onde mais de uma articulação requeira tratamento, as respectivas terapias deverão ser consecutivas, nunca alternadas ou simultâneas.

IMPORTANTE: Somente ombros e quadris são tratados simultaneamente, visto serem articulações interconectadas. O mesmo não ocorre com as articulações dos membros (braços e pernas). Assim sendo, a terapia PST não é eficaz no tratamento simultâneo dos dois joelhos, de ambos os pés, de ambas as mãos e assim por diante. Nesses casos, deve-se iniciar o tratamento pela articulação mais problemática e completar todas as sessões. Somente depois de completado o primeiro tratamento deve-se iniciar um segundo na outra articulação.

A terapia é realizada posicionando-se adequadamente a articulação a ser tratada na bobina geradora do campo magnético. Não há necessidade do paciente despir-se ou de utilizar traje especial. O posicionamento será feito pelo terapeuta PST, habilitado e treinado, de maneira que o paciente permaneça na próxima hora acomodado da forma mais confortável possível.

A aplicação permite uma atmosfera acolhedora, favorável ao sentimento de bem-estar, relaxamento e sono. É muito freqüente que adormeça, especialmente quando utilizada a cama.

A aplicação da PST é totalmente silenciosa, e a grande maioria dos pacientes a faz sem nada sentir. Em alguns casos, poderá haver uma sensação de calor ou “formigamento” no local da aplicação. Em raríssimos casos o paciente reporta algum aumento na dor pré-existente, ocorrência que não alterará o resultado do tratamento.