Novidades

Melatonina Reduz Metástase em Animais com Cancer de Mama – Nov/15

Ao tratar com melatonina células metastáticas de cancer de mama cultivadas in vitro, pesquisadores da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto observaram uma redução em torno de 55% na capacidade de migração e invasão celular. Experimentos feitos com camundongos mostraram que o tratamento também é capaz de diminuir a progressão da doença in vivo.

Os resultados da pesquisa foram divulgados no Journal of Pineal Research.
Esses dados reforçam a hipótese, já apontada em estudos anteriores do grupo, de que doses terapeuticas de melatonina – acima do que normalmente é encontrado no organismo humano – poderiam funcionar como adjuvante no tratamento do cancer
A melatonina é um hormonio secretado naturalmente pela glandula pineal e, que participa da regulação do ciclo de sono e vigília em todos os mamíferos. Estudos recentes tem mostrado que ela também ajuda a regular outros importantes processos, como pressão arterial, ingestão alimentar, gasto energético, síntese e ação da insulina nas células.
O grupo coordenado por Zuccari na Famerp vem há alguns anos estudando, com auxílio da FAPESP, o efeito da melatonina sobre o cancer de mama.
Já havia alguns trabalhos mostrando que ela inibia a metástase, por exemplo, mas não mostravam como isso acontecia.
Os experimentos in vivo foram feitos nos Estados Unidos, graças a uma parceria com o pesquisador Ali Syed Arbab, atualmente na Georgia Regents University.
As células metastáticas de cancer de mama humano foram injetadas na veia caudal de camundongos, que então foram divididos em três grupos. O primeiro recebeu durante duas semanas injeções intraperitoneais de melatonina. O segundo recebeu durante o mesmo período injeções de uma substância chamada Y27632, capaz de inibir a síntese da proteína ROCK-1. O último grupo recebeu apenas placebo.
O grupo tratado com melatonina apresentou 40% menos metástase que o grupo placebo. Nos animais que receberam o inibidor de ROCK-1 a redução foi de 58%.
Em um outro experimento, animais tratados com melatonina durante cinco semanas apresentaram 25% menos metástase que o grupo que recebeu placebo.
Nos experimentos in vitro, observou-se que a melatonina reduz em 50% a expressão de ROCK-1 e em 55% a capacidade de migração e invasão das células tumorais. A substância também inibiu a viabilidade e a proliferação das células em cultura.

Estudo na íntegra: Melatonin decreases breast cancer metastasis by modulating ROCK-1 expression (doi: 10.1111/jpi.12270)

 

12193685_1666982643571152_7114178060264831805_n