Novidades

Magnésio L-Treonato na Saúde Cognitiva de Pacientes com Alzheimer – Mar/16

O cérebro sofre, naturalmente ao longo dos anos, alterações estruturais e funcionais mesmo na ausencia de doenças degenerativas. Hoje, sabe-se que, a partir dos 25 anos de idade, o volume cerebral começa a diminuir. Esse tipo de alteraçāo afeta a saúde cognitiva, podendo ocasionar perda de memória, tensão, ansiedade, demencia, Doença de Alzheimer, fobias, distúrbios do sono, entre outros.

Em 2012, a prevalencia mundial da Doença de Alzheimer foi de 24 milhões. Com o rápido envelhecimento da população mundial, estima-se que, em 2050, 115 milhões de pessoas sejam afetadas pela doença.
Com base nisso, busca-se cada vez mais compostos que possibilitem a redução natural dos danos à saúde cognitiva sem efeitos adversos. Por isso, surge o interesse pela molécula de MAGNÉSIO, um mineral envolvido em mais de 300 processos biológicos, importante para quase todas as funções cerebrais. No entanto, apesar de sua boa fama, até o momento, maioria dos compostos de magnésio disponíveis no mercado possuem baixa disponibilidade no tecido cognitivo cerebral. Para solucionar o problema, os cientistas do MIT desenvolveram uma molécula única e exclusiva de magnésio ligado ao L-TREONATO, que em estudos recém publicados, mostrou ser o ÚNICO COMPOSTO DE MAGNÉSIO EFETIVO EM AUMENTAR DE FORMA SIGNIFICATIVA AS CONCENTRAÇÕES DE MAGNÉSIO NO CÉREBRO e, portanto, de aprimorar a capacidade de aprendizagem, memória de curto e longo prazo, memória de trabalho e conexões sinápticas (Slutsky et al., 2010).
O MAGNÉSIO L-TREONATO é capaz de atravessar pela barreira hematoencefálica possuindo maior açāo em áreas do HIPOCAMPO (relacionadas com a memória e aprendizado), sendo capaz de aumentar as conexões sinápticas nessa região, em aumentar a expressão das subunidades NR2B do receptor NMDA, além de diminuir as placas Beta Amiloides (prejudiciais à comunicaçāo neuronal); Li etal., 2013; Slutsky et al., 2010.
Vários estudos em animais de laboratório vem sendo feitos para se constatar os benefícios da suplementaçāo do MAGNÉSIO L-TREONATO na memória espacial de trabalho, na memória curta e longa e, na capacidade em aumentar as sinapses em algumas regiões do Hipocampo. Em estudo recente realizado por Li et al. de 2013, animais de laboratório transgenicos com Alzheimer foram tratados com MAGNÉSIO L-TREONATO, com o intuito de verificar a possibilidade de prevenção deste composto em relação às perdas sinápticas e ao declínio da memória. Ao final do estudo, o MAGNÉSIO L-TREONATO foi capaz de incrementar a memória dos animais com ALZHEIMER, além de prevenir a perda sináptica no grupo suplementado.
Procure se informar com seu médico com prática Ortomolecular sobre os benefícios desse novo suplemento nas diversas patologias envolvendo funções cognitivas e afetivas cerebrais.

12928309_1713944408874975_6317301407018484059_n-2