Novidades

Jejum Periódico e Intermitente e Seus Benefícios à Saúde – Dez/17

 

O jejum definido como ato consciente e voluntário de não se alimentar por períodos de 12h a 3 semanas, é caracterizado como uma intervenção dietética extrema, com ausencia total de consumo alimentar ou restrição alimentar de 60% ou mais do valor calórico total. Atualmente, diferentes protocolos foram criados com variações na duração e frequencia do jejum, estando dois mais em voga:
1- jejum Intermitente que se refere à prática do jejum em dias alternados ou em período específico do dia, que pode variar de 10 a 21 horas de restrição alimentar total;
2- jejum periódico que se refere à restrição severa por dois ou mais dias de forma periódica a cada duas semanas, mensalmente, etc.
Diversos estudos já demonstraram os efeitos benéficos da restrição calórica na melhora de índices funcionais, redução de fatores de risco metabólicos para doenças cronicas e melhora da expectativa de vida. Sāo eles:
- aumento da neuroplasticidade cerebral, por aumento da neurogenese e da biogenese mitocondrial e, por diminuição do estresse oxidativo e da inflamação cerebral;
- melhora do estado de humor;
- redução da proliferação celular descontrolada;
- diminuição da sobrecarga hepática;
- reduçāo do apetite e aumento da lipólise (queima das reservas de gordura);
- aumento da sensibilidade à insulina;
- melhora das respostas adaptativas em treinos de endurance;
- redução da frequencia cardíaca em repouso e da pressāo arterial;
Nesse sentido, devido às diferentes respostas adaptativas que o jejum é capaz de promover em marcadores inflamatórios e metabólicos, pressupõe-se que tal estratégia de mainipulaçāo nutricional, quando bem aplicada e controlada, poderia contribuir para o manejo clínico de doenças cronicas inflamatórias.

25498121_2012513982351348_4765045015995407410_n